Posso fazer caminhada em jejum? Conheça os pós e contras!

Descubra se a caminhada em jejum é adequada para você!

Anderson di Aguiar
Anderson di Aguiar
15 minutos de leitura

Olá leitores geniais, vamos começar essa jornada de conhecimento sobre a caminhada em jejum. Quando falamos em atividade física, a caminhada se destaca por sua acessibilidade. Ou seja, podemos realizá-la em diversos locais, desde parques até ruas movimentadas. No entanto, surgem dúvidas, e uma das mais comuns é: é seguro praticar caminhada em jejum?

É importante salientar que, como sempre destacamos, a orientação de profissionais da saúde, como nutricionistas e preparadores físicos. Além disso, essa orientação é essencial para entender melhor essas questões, levando em consideração as necessidades individuais de cada pessoa.

O jejum, caracterizado por um período em que não se ingere alimentos, geralmente entre 6 a 8 horas. Além disso, é uma prática que desperta curiosidade quando associada à atividade física.

No decorrer deste texto, exploraremos os principais efeitos da caminhada em jejum, fornecendo informações relevantes para uma prática segura e eficaz. Vamos embarcar nessa jornada juntos e desvendar os mistérios desse tema.

Caminhada em jejum traz riscos

É muito frequente os questionamentos sobre a prática da caminhada em jejum quanto à sua segurança e eficácia. O renomado cardiologista e médico do esporte, Dr. Nabil Ghorayeb, considera enfaticamente antifisiológico realizar qualquer tipo de exercício físico sem se alimentar. Em uma entrevista exclusiva para o Sport Life, ele destaca: “Não se deve fazer nada em jejum. É antifisiológico e o corpo precisa de energia, as fontes são os alimentos e, principalmente, os carboidratos que nós utilizamos.

O médico ressalta que a ideia de praticar exercícios em jejum não é aceitável sob o ponto de vista médico. Pois pode acarretar sérios problemas de saúde ao invés de trazer benefícios. Ele adverte sobre os riscos, que incluem hipoglicemia, tontura, desmaio e quedas bruscas de pressão arterial. Dr. Nabil reforça a importância de buscar orientação médica para métodos seguros de perda de peso, ao invés de recorrer a práticas potencialmente prejudiciais.

Posso caminhar sem comer? Conheça os pós e contras!

Diante dessas considerações, fica evidente a recomendação de evitar qualquer tipo de atividade física em jejum, priorizando a saúde e o bem-estar do praticante. É fundamental compreender os potenciais riscos envolvidos e buscar alternativas mais seguras para alcançar os objetivos de condicionamento físico e perda de peso.

Outros conselhos para sua caminhada 100%

Além de evitar a prática de exercícios em jejum, é fundamental seguir algumas orientações para garantir uma caminhada segura e eficaz. De acordo com especialistas, recomenda-se realizar atividade física pelo menos três vezes por semana. Além disso, estudos científicos sugerem um tempo total de exercício aeróbico de aproximadamente 180 minutos semanais.

Dr. Nabil Ghorayeb destaca a importância de distribuir esses exercícios ao longo da semana. Especialmente para pessoas com mais de 35 ou 40 anos, reservando um dia para descanso. Ele ressalta que, embora atletas possam praticar atividades físicas quase diariamente, para indivíduos comuns, é essencial respeitar os períodos de recuperação muscular.

Quanto ao horário ideal para a caminhada, não há um consenso definitivo. Sob o ponto de vista ortopédico, é bem melhor realizar a atividade no final do dia, pois a musculatura tende a estar mais preparada. No entanto, do ponto de vista cardiovascular, não há uma indicação específica de horário. Portanto, a recomendação é simples: pratique exercícios no horário em que se sentir melhor, respeitando seu próprio ritmo e preferências.

Qual é o plano alimentar indicado para quem faz caminhada?

Quando se trata do plano alimentar adequado para quem pratica caminhada, a hidratação é fundamental. E não apenas isso, juntamente com alimentos e substâncias que auxiliam na manutenção da atividade física muscular. Dr. Nabil Ghorayeb ressalta a importância de consumir aminoácidos e suplementos que atendam às necessidades energéticas durante a prática do exercício.

Posso caminhar sem comer? Conheça os pós e contras!

É essencial garantir uma alimentação balanceada, fornecendo os nutrientes necessários para sustentar o esforço físico durante a caminhada. Isso inclui uma variedade de alimentos ricos em proteínas, carboidratos complexos e gorduras saudáveis. Além de manter uma boa hidratação antes, durante e após o exercício.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada em parceria com o Ministério do Esporte em 2022, cerca de 24,6% dos brasileiros praticam corrida ou caminhada com certa frequência. Isso evidencia a popularidade dessa atividade física no país e reforça a importância de orientações nutricionais adequadas para maximizar os benefícios da prática esportiva.

Praticar exercício com o estômago vazio queima 70% mais gordura

Apesar das advertências sobre os riscos da caminhada em jejum, há uma vertente que defende essa prática, argumentando que exercitar-se com o estômago vazio pode resultar em uma queima de gordura mais eficiente. De acordo com um estudo conduzido por pesquisadores das universidades Nottingham Trent, Metropolitana de Manchester e de Loughborough, todas na Inglaterra, essa abordagem pode levar a uma queima de até 70% mais gordura em comparação com a prática de exercícios duas horas após uma refeição.

Publicado na revista científica International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, o estudo sugere que essa diferença ocorre devido à incapacidade das pessoas que treinam em jejum de compensar, ao longo do dia, as calorias queimadas durante a atividade física.

Embora alguns estudos científicos indiquem que os benefícios da atividade física aumentam quando realizada pela manhã, a pesquisa constatou que é no período noturno, entre 16h e 20h, que a maioria das pessoas pratica exercícios. Isso se deve, em grande parte, a compromissos pessoais que limitam a disponibilidade de tempo para atividades físicas mais cedo no dia.

Os Benefícios do Exercício em Jejum à Noite

Os estudos científicos continuam a surpreender, e um recente trabalho realizado por pesquisadores das universidades Nottingham Trent, Metropolitana de Manchester e de Loughborough, todas na Inglaterra, revelou resultados intrigantes sobre os efeitos do exercício em jejum à noite.

Para investigar os impactos desse tipo de atividade física, os participantes foram submetidos a uma rotina de pedalada em uma bicicleta ergométrica. O experimento aconteceu às 18h30, momento em que os pesquisadores orientaram aos participantes a pedalar em intensidade moderada por 30 minutos, seguidos por 15 minutos de pedalada em alta intensidade.

Os resultados foram surpreendentes: o exercício em jejum à noite demonstrou aumentar significativamente a quantidade de gordura queimada durante a atividade. A perda de gordura foi comparável àquela observada quando o exercício em jejum foi realizado pela manhã, após uma noite de jejum.

Posso fazer caminhada em jejum? Conheça os pós e contras!

Durante o ciclo de 30 minutos, a quantidade de gordura queimada aumentou aproximadamente 70%, passando de 4,5g para 7,7g. Além disso, os pesquisadores monitoraram a ingestão calórica dos participantes ao longo do dia e durante o jantar após o exercício. Surpreendentemente, apesar de uma ingestão calórica ligeiramente maior no jantar para aqueles que realizaram o exercício em jejum, a ingestão calórica total ao longo do dia foi, em média, 440 quilocalorias menor para esse grupo.

Esses achados sugerem que o exercício em jejum à noite não só aumenta a queima de gordura durante a atividade física, mas também pode levar a uma redução no consumo calórico total ao longo do dia. Essa descoberta tem implicações significativas para aqueles que procuram otimizar seus regimes de exercícios e controle de peso.

Considerações sobre o Exercício em Jejum Noturno

Apesar dos benefícios observados do exercício em jejum à noite, os pesquisadores também identificaram alguns aspectos negativos que merecem atenção.

Posso fazer caminhada em jejum? Conheça os pós e contras!

Durante o exercício de pedalar o máximo possível por 15 minutos, os participantes percorreram uma distância ligeiramente menor quando estavam em jejum. Além disso, relataram ter menor motivação para se exercitar e menor satisfação com a atividade em comparação com aqueles que não estavam em jejum.

Tommy Slater, pesquisador de ciências esportivas da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade de Nottingham Trent, ressalta que o jejum antes do exercício noturno pode trazer benefícios para a saúde, como aumento da queima de gordura durante o exercício e potencial redução da ingestão calórica ao longo do dia. Isso pode melhorar a maneira como o corpo lida com picos de açúcar no sangue após as refeições.

No entanto, Slater adverte que o jejum durante o dia parece afetar negativamente o desempenho, a motivação e o prazer do exercício, o que pode dificultar a adesão a longo prazo para algumas pessoas. Portanto, é importante considerar esses aspectos ao adotar o exercício em jejum como parte da rotina de atividades físicas.

Prós e Contras da Caminhada em Jejum

A prática da caminhada em jejum desperta diversos debates e considerações, com argumentos tanto a favor quanto contra essa abordagem. Vamos analisar os principais pontos:

Prós:

  1. Aumento da queima de gordura: Estudos sugerem que exercitar-se com o estômago vazio pode resultar em uma maior queima de gordura durante a atividade física, especialmente quando realizada à noite.
  2. Potencial redução da ingestão calórica: O exercício em jejum pode levar a uma redução na quantidade de calorias consumidas ao longo do dia, o que pode ser benéfico para o controle de peso e a saúde metabólica.
  3. Melhoria na resposta ao açúcar no sangue: Exercícios em jejum podem melhorar a maneira como o corpo lida com picos de açúcar no sangue após as refeições, beneficiando a saúde metabólica a longo prazo.

Contras:

  1. Redução do desempenho e motivação: O jejum antes do exercício pode levar a uma diminuição no desempenho físico, na motivação para se exercitar e no prazer durante a atividade, o que pode dificultar a adesão a longo prazo.
  2. Possíveis efeitos adversos à saúde: Exercitar-se em jejum pode aumentar o risco de hipoglicemia, tontura, desmaio e outros problemas de saúde, especialmente para pessoas sensíveis ou com condições médicas preexistentes.
  3. Impacto individual variável: O efeito do exercício em jejum pode variar significativamente entre indivíduos, dependendo de fatores como idade, condição física, dieta e estilo de vida.

Considerando esses aspectos, é importante que cada pessoa avalie cuidadosamente os prós e contras da caminhada em jejum, levando em consideração sua saúde, objetivos de condicionamento físico e preferências pessoais. Além disso, é fundamental buscar orientação médica ou de um profissional de saúde qualificado antes de iniciar qualquer programa de exercícios em jejum, especialmente se houver preocupações de saúde preexistentes.

Posso fazer caminhada em jejum? Conheça os pós e contras!

Conclusão: Avaliando o Papel da Caminhada em Jejum

A discussão em torno da caminhada em jejum é complexa e multifacetada, com argumentos convincentes tanto a favor quanto contra essa prática. Enquanto alguns estudos sugerem benefícios, como aumento da queima de gordura e potencial melhoria na resposta ao açúcar no sangue, outros apontam para possíveis efeitos adversos à saúde e redução do desempenho físico.

É essencial reconhecer que o impacto da caminhada em jejum pode variar significativamente entre indivíduos, e que não existe uma abordagem única que se aplique a todos. A decisão de praticar exercícios em jejum deve ser cuidadosamente ponderada, levando em consideração a saúde, objetivos pessoais e estilo de vida de cada pessoa.

Nesse contexto, é fundamental buscar orientação médica ou de um profissional de saúde qualificado antes de iniciar qualquer programa de exercícios em jejum. Além disso, é importante monitorar de perto os sinais do corpo durante a prática e estar atento a quaisquer efeitos adversos.

Em última análise, a caminhada em jejum pode ser uma ferramenta útil para algumas pessoas em seus objetivos de saúde e condicionamento físico, mas deve ser abordada com cautela e moderação. A chave é encontrar um equilíbrio que promova o bem-estar geral e sustentável a longo prazo.

Gostaríamos de ouvir a sua opinião! Deixe um comentário abaixo compartilhando suas experiências e perspectivas sobre a caminhada em jejum. Não se esqueça de compartilhar este post com amigos e familiares interessados no assunto e reagir para nos ajudar a entender o que mais você gostaria de saber sobre saúde e fitness.

Acompanhe o Gênio! nas redes sociais para ficar por dentro de mais novidades incríveis: Facebook e Instagram

  • Descubra como ganhar R$ 500 em apenas 7 dias: o mapa definitivo para alcançar suas metas financeiras! Clique para descobrir

Vídeo novo no canal

Compartilhe esse Post
Seguir:
Anderson trabalha como Designer Gráfico há 22 anos e como produtor de conteúdo há 15 anos. Pai de 3 filhas lindas, nerd de carteirinha, assiste filmes, desenhos e séries todos os dias e ama o que faz!
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *